Home
MATÉRIA ESPECIAL - Saneamento
MEIO AMBIENTE
Notícias / Comportamento
Notícias / Extra
Promoção Caneca "É Com Você"
SEGURANÇA DO TRABALHO
Saúde Ocupacional - Exposição ao Sol
URBANIDADE
EDITORIAL
NOTÍCIAS E INFORMAÇÕES
Comentário em Destaque
LEGISLAÇÃO
PERFIL
GALERIA DE FOTOS
CARTILHAS
Promoções
MATÉRIA ESPECIAL
Arquivos
Artigos Anteriores
Documentos de Orientação Básica (DOB)
Editoriais anteriores
Mensagens
Vídeos Motivacionais
Painel de Comentários
Fale Conosco
 
Arquivos

Editorial I

30/01/12
Editorial / 1ª Edição

 
Prezados Leitores,
 

É fato que todos nós temos muitos desafios pela frente. Também sabemos que esses desafios não são fáceis de superar. Porém, alguns desses “obstáculos” dependem da nossa atitude para superá-los.
 

Os investimentos dos governos (federal, estadual e municipal) são direcionados para os projetos e ações que resultam em votos nas eleições. Isso não é nem questão cultural como dizem, já é uma tradição no Brasil. Segundo O IBGE (Pesquisa Nacional de Seneamento Básico –PNSB) apontou que um grupo de 1.933 municípios (34,7% do total) relatou ter, em seu perímetro urbano, áreas de risco que demandam drenagem especial.

As ocupações irregulares não se resumem às Áreas de Risco, mas a grande parte do território das cidades tais como: Áreas de Preservação Permanente (APP), Áreas de Proteção aos Mananciais (APM), Loteamentos Irregulares, Favelização de áreas abandonadas, dentre outras, cuja fiscalização é responsabilidade do Poder Público. Mas o que vemos é a omissão total das autoridades competentes, resultando (sempre) em catástrofes onde muitas vidas são perdidas.
 

Nas ruas, avenidas e estradas brasileiras a situação não diferente. O péssimo estado de conservação das estradas no Brasil, são um espelho do que vemos nas vias públicas estaduais e municipais. Porém, isso não é justificativa à imprudência dos motoristas. Um estudo recente aponta que o comprotamento humano é a principal causa dos acidentes nas estradas brasileiras. Uma pesquisa aponta que os choques violentos subiram de 12,12% em 2005 para 22,34% do total de acidentes registrados em 2009.
 

Ora, essa pesquisa vem ao encontro do que observamos (diariamente) seja nas ruas das cidades ou nas estradas.
 

Podemos dizer que os temas abordados nesta edição, nos obriga a refletir de forma muito profunda sobre qual é o nosso papel diante dessas situações que nos afetam diretamente.

De uma coisa podemos ter certeza, tanto a ocupação de áreas de risco como a imprudência ao volante, são problemas que nós podemos colaborar (fortemente) na busca da solução, por meio do voto (eleições municipais) e pela mudança de atitude no trânsito respectivamente.
 

É com Você!
 

Abraços e boa leitura!
 

Eng. Ricardo Ribeiro.

Canal Direto
Nome
E-mail
Cidade
Estado
Digite o código acima: